MENU
OUVIR

Plano de vigilância sanitária em caça maior

As espécies cinegéticas são um recurso natural renovável e representam um importante papel nos ecossistemas. Assim, a gestão cinegética inclui a monitorização das populações e das suas condicionantes de sustentabilidade, entre as quais se inclui a identificação de causas de morbilidade e mortalidade relacionadas com agentes patogénicos.

Os problemas sanitários têm impacto na conservação das espécies de caça maior, na saúde dos animais domésticos de produção e em certos casos, na saúde pública (pelo risco de zoonoses e de introdução de produtos contaminados na cadeia alimentar).

Neste sentido a Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) conjuntamente com o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas IP (ICNF) e o Instituto Nacional de Investigação Agrária e veterinária IP (INIAV), desenvolveram a “Estratégia sanitária para as espécies cinegéticas”, a qual entre outras ações identifica a monitorização de certos agentes de doença, como um dos principais eixos de atuação.

Na época 2017/2018 deu-se início ao presente Plano, ao qual se pretende dar continuidade na época 2018/2019, alargando a amostragem para a monitorização das doenças em Caça Maior.

Este Plano é ainda complementar às medidas de controlo da tuberculose e da triquinelose em caça maior, instituídas nas áreas de risco definidas pelos respetivos Editais em vigor, podendo algumas amostras ser coincidentes.

Objetivos do Plano:

  1. Avaliação do estado sanitáriodas populações de javalis no que respeita à Tuberculose, Peste Suína Africana, Peste Suína Clássica, Doença de Aujeszky, Triquinelose e Cisticercose.
  2. Avaliação do estado sanitáriodas populações de cervídeos no que respeita Tuberculose, Sarna Sarcótica, Língua Azul e Doença Emaciante Crónica dos Cervídeos.
  3. Caracterização da ocorrência de doenças, nomeadamente a sua distribuição geográfica e associação a fatores intrínsecos dos animais positivos.

Relatório 2018/2019

 

Documentação de suporte

Procedimentos de Avaliação Sanitária


© 2021 | Direção-Geral de Alimentação e Veterinária