MENU
OUVIR

Publicação do 11º relatório ESVAC

A DGAV informa que o 11º relatório ESVAC já se encontra publicado no Portal da EMA.

O relatório, elaborado pelo projeto de Vigilância Europeia do Consumo de Antimicrobianos Veterinários (ESVAC) sediado na EMA, apresenta dados sobre o volume de vendas de medicamentos veterinários antimicrobianos por classe, comunicados de forma normalizada e harmonizada.

No total, 31 países europeus enviaram dados relativos a 2019 e 2020. Foi observada uma diminuição geral nas vendas (mg / PCU) de 43,2% entre os 25 países que forneceram dados de vendas para todos os anos entre 2011 e 2020.

De particular importância, as vendas de medicamentos veterinários considerados de importância crítica para a medicina humana apresentam uma tendência decrescente. Entre 2011 e 2020, as vendas foram reduzidas em:

  • 33% para cefalosporinas de terceira e quarta geração;
  • 77% para polimixinas;
  • 13% para fluoroquinolonas;
  • 85% para outras quinolonas.

Relativamente a Portugal, as vendas globais variaram ao longo do período observado de participação no projeto ESVAC, apresentando um pico em 2016 (208 mg / PCU) e uma baixa em 2017 (134,2 mg / PCU). 2020 (175,8 mg / PCU) registou um aumento de 19,9% nas vendas em comparação a 2019 (146,6 mg / PCU). Os dados de vendas de 2019 são resultado tanto de subnotificação quanto de redução de consumo (confirmados pelas partes interessadas). Em 2020 houve um aumento nas vendas, mas não tanto quanto os dados refletem devido a essa subnotificação. As tetraciclinas, penicilinas e macrólidos têm sido os antimicrobianos mais vendidos em Portugal, representando 34,4%, 22,1% e 11,4%, respetivamente, do total das vendas em 2020.

As vendas (em mg / PCU) de cefalosporinas de 3ª e 4ª geração permaneceram relativamente estáveis de 2010 a 2020. Em 2020, as vendas de medicamentos veterinários contendo cefalosporinas de 3ª e 4ª geração foram de 0,38 mg / PCU, enquanto as vendas agregadas para 25 países foram 0,16 mg / PCU.

As vendas (mg / PCU) de polimixinas, nomeadamente colistina, têm flutuado ao longo dos anos, com os valores mais elevados (18,99 mg / PCU) e mais baixos (7,9 mg / PCU) observados em 2013 e 2011, respetivamente. As polimixinas são antimicrobianos de último recurso para uso em humanos, o que significa que as vendas de medicamentos veterinários contendo agentes antimicrobianos dessa classe requerem mais atenção. Em 2020, as vendas de polimixinas aumentaram para 11,66 mg / PCU (37,4%) em relação ao ano anterior.

As vendas de fluoroquinolonas oscilaram ao longo dos anos, com pico em 2014 (11,38 mg / PCU). Isto foi atribuído principalmente à disponibilidade de vários medicamentos veterinários genéricos de amplo espectro, particularmente aqueles que contêm enrofloxacina. Em 2020, as vendas de fluoroquinolonas foram de 7,3 mg / PCU, enquanto as vendas agregadas para 25 países naquele ano foram de 2,20 mg / PCU.

As vendas de outras quinolonas caíram entre 2010 e 2019, sem vendas reportadas em 2020. Em 2010, essa subclasse representava 0,37% das vendas totais, enquanto em 2019 esse número era de 0,001%.

Aceda ao documento (europa.eu): sales-veterinary-antimicrobial-agents-31-european-countries-2019-2020-trends-2010-2020-eleventh_en.pdf


© 2021 | Direção-Geral de Alimentação e Veterinária