MENU
OUVIR

Plano de vigilância ativa da Peste Suína Africana em extensivo

Dado a situação epidemiológica da peste suína africana na europa e no mundo, a Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) conjuntamente com o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF, I. P.) e de forma a prevenir a introdução da PSA em território nacional implementou o Plano de Ação para a Prevenção da Peste Suína Africana (PAPPSA). Atualmente está em execução o PAPPSA para o triénio 2022-2024. Este plano abrange dois eixos importantes: (1) a adoção de medidas preventivas nas populações de suínos domésticos e de javalis e (2) a preparação dos serviços oficiais para a resposta em caso de surto

Uma das medidas previstas no PAPPSA é o reforço da vigilância e deteção precoce de focos de PSA, incluindo a vigilância ativa dirigida a grupos de maior risco, como é o caso do sistema extensivo de produção suinícola, dado o potencial contacto com javalis, também suscetíveis à infeção.

Para implementação daquela medida foi elaborado o plano de vigilância ativa da peste suína africana nas explorações em extensivo (PVPSAESE).

Este plano consiste na recolha de amostras em suínos mortos independentemente da causa pelo médico veterinário responsável sanitário ou médico veterinário contratado, mantidos nas explorações de regime extensivo, para exame virológico da PSA no Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV I.P.).

Diagrama com um resumo dos procedimentos do PVPSAESE:

Documentação do PVPSAESE:

  • Plano da vigilância ativa da peste suína africana nas explorações suinícolas em extensivo ver
  • Folha de requisição de análises Mod IMP-4.4-01.16/2 do INIAV ver
  • Anexo V do manual de operações do plano de contingência da Peste Suína Africana ver

Documentação de interesse:

Plano de contingência da peste suína africana


© 2024 | Direção-Geral de Alimentação e Veterinária