MENU
OUVIR

Tuberculose Bovina

A tuberculose bovina é uma doença crónica dos animais, que se transmite naturalmente entre os animais e dos animais ao homem, assumindo assim a definição de zoonose.

É causada por uma bactéria, o Mycobacterium bovis, que possui marcadas semelhanças com a bactéria causadora da tuberculose humana – ver mais informação sobre tuberculose bovina.

Dada a expansão das populações de caça maior em território nacional, e tendo em consideração que a tuberculose afeta para além dos bovinos também aquelas populações, a recolha de dados epidemiológicos permitiu identificar uma zona de risco, para a qual  são fixadas através do Edital n.º1 tuberculose em caça maior, regras mais rigorosas que envolvem as entidades gestoras de zonas de caça (ver documentos de apoio e modelos de registo em Tuberculose em caça maior).

Reveste-se de particular interesse a promoção e divulgação de boas práticas higio-sanitárias, de controlo e prevenção na gestão de caça maior, agora patentes no “Guia de Boas Práticas higio-sanitárias em Caça maior”.

Relatório técnico do Programa de Erradicação da Tuberculose Bovina.

. Laboratório Comunitário de Referência (LCR) – VISAVET, Centro de Vigilância Sanitária Veterinária, Madrid

. Laboratório Nacional de Referência (LNR)  – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P. (INIAV).

. Lista de Laboratórios Autorizados pela DGAV para análises no âmbito do programa de vigilância e erradicação da tuberculose bovina.

Portugal elabora anualmente programas de erradicação que são apresentados à apreciação e aprovação da Comissão Europeia para cofinanciamento –  ver mais

Saneamento de Bovinos em Explorações de Engorda – Nota explicativa

. A Região do Algarve (distrito de Faro) e Região Autónoma dos Açores exceto a Ilha de São Miguel, estão reconhecidas pela Comissão Europeia como regiões indemnes de infeção pelo complexo Mycobacterium tuberculosis (Mycobacterium bovis, M. caprae e M. tuberculosis) (CMTB). Regulamento de Execução (UE) 2021/620 da Comissão de 15.04.2021, anexo II, parte I.

Informação adicional:

. Modelo 758/DGV – Inquérito Epidemiológico.

.  Modelo 759/DGV – Requisição de Análises Tuberculose.

. Modelo 760/DGV– Requisição de Análises em caso de suspeita de Tuberculose.

Manuais de Procedimentos


© 2024 | Direção-Geral de Alimentação e Veterinária

Skip to content