MENU
OUVIR

Gripe Aviária

A Gripe Aviária é uma doença vírica extremamente contagiosa podendo causar elevada mortalidade nas aves afetadas.

As infeções pelos vírus da gripe aviária dividem-se em dois grupos com base na sua patogenicidade: gripe aviária de alta patogenicidade (GAAP), que se dissemina rapidamente, causando doença grave com mortalidade elevada (até 100% no prazo de 48 horas) e gripe aviária de baixa patogenicidade (GABP) que geralmente causa doença ligeira, podendo facilmente passar despercebida.
Ocasionalmente, algumas estirpes de vírus da gripe aviária podem infetar outros animais, nomeadamente mamíferos, e também o ser humano. No entanto, para que tal aconteça é necessário que haja um contacto muito estreito entre as aves infetadas e as pessoas ou entre aves e outros animais. Para mais detalhes acerca da doença, ver.

Não há nenhuma evidência epidemiológica de que a gripe aviária possa ser transmitida aos seres humanos através do consumo de alimentos, nomeadamente de carne de aves de capoeira e ovos.

Deteção de focos de infeção por vírus da GAAP em Portugal

Desde o dia 30 de novembro de 2021 têm sido confirmados pelo Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (laboratório nacional de referência para as doenças dos animais), vários focos de infeção por vírus da gripe aviária de alta patogenicidade do subtipo H5N1 em aves domésticas e selvagens. Para mais informações sobre estes focos, ver aqui.

Na sequência destes eventos, o plano de contingência para a gripe aviária foi ativado de imediato e as medidas de controlo previstas na legislação em vigor foram executadas no terreno pela DGAV. Estas medidas, que incluem a inspeção aos locais onde foi detetada a doença e o estabelecimento de zonas de restrição sanitária no raio de 3 km (zona de proteção) e 10 km (zona de vigilância) em redor de cada foco. Foi igualmente intensificada a vigilância da doença nestas zonas de proteção e vigilância.

Na sequência de confirmação de um foco numa exploração comercial de perus de engorda a 29 de setembro de 2022, as medidas determinadas pelo Edital n.º 23 foram atualizadas através da publicação do Edital n.º24 que pode ser consultado aqui .

Para mais informações sobre os focos de gripe aviária de alta patogenicidade detetados em Portugal consulte a nota técnica:

Situação atual na Europa

Durante o verão de 2021 continuaram a ser confirmados focos de infeção por vírus da gripe aviária de alta patogenicidade dos subtipos H5NX e H5N1 na Rússia, na Geórgia e no Cazaquistão. O primeiro foco de infeção por vírus da gripe aviária de alta patogenicidade, da época 2021-2022, na União Europeia foi detetado numa capoeira doméstica na Chéquia a 30/09/2021. Desde então foram identificados focos de infeção por vírus de vários subtipos, com grande predominância do subtipo H5N1, em aves de capoeira, aves em cativeiro e em aves selvagens, em 26 países da União Europeia. Foram também reportados focos em vários países não pertencentes à União Europeia: Reino Unido, Noruega, Suíça, Bósnia e Herzegovina, Kosovo, Macedónia do Norte, Moldávia, Ucrânia e Islândia. Foram também reportados focos de infeção com vírus do subtipo H5N1 em raposas e lontras no norte da Europa. Em Itália detetaram-se evidências serológicas de contacto com o vírus em suínos. Por outro lado, no início de janeiro de 2022, o Reino Unido notificou à Organização Mundial de Saúde o primeiro caso humano de infeção por vírus da gripe aviária de alta patogenicidade do subtipo H5N1. Esta pessoa teve contactos estreitos com aves infetadas e não apresentou sintomas de doença. No entanto, o risco de transmissão zoonótica para a população em geral continua baixo.

A lista dos países da Europa onde foram detetados focos de gripe aviária no período compreendido entre 8 de outubro de 2021 e 26 de setembro de 2022 e a respetiva distribuição geográfica podem ser consultadas aqui.

A EFSA disponibiliza regularmente relatórios científicos sobre a situação epidemiológica da Gripe Aviária na Europa e no Mundo onde procede a uma análise aprofundada da mesma. O relatório referente ao período compreendido entre março e setembro de 2022 pode ser consultado aqui.

Situação atual da Gripe Aviária de Alta Patogenicidade no resto do mundo

De acordo com os dados disponibilizados pela Organização Mundial para a Saúde Animal – WAOH, entre 9 e 29 de junho de 2022, foram notificados 7 novos focos de infeção por vírus da gripe aviária de alta patogenicidade em aves de capoeira em 6 países, incluindo diversos países da Europa que também reportam ao ADIS e o Canadá. No mesmo período de tempo foram também notificados 52 eventos em aves selvagens e aves em cativeiro em 6 países, incluindo países da Europa que também reportam ao ADIS, Cazaquistão, Reino Unido, Rússia e Estados Unidos da América.

Informações importantes

Reitera-se que o reforço da biossegurança bem como a observação diária e atenta das aves de capoeira, incluindo a monitorização dos consumos de alimento e água e dos índices produtivos, são medidas imprescindíveis para a salvaguarda do efetivo avícola. Recentemente foi publicado, pela FEPASA em colaboração com a DGAV, um manual de biossegurança para estabelecimentos avícolas que pode ser consultado aqui

Notificação obrigatória

A Gripe Aviária é uma doença de notificação obrigatória para a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), para a União Europeia e a nível nacional.

Assim, de acordo com a legislação em vigor, qualquer suspeita ou ocorrência de GA deve ser de imediato reportada aos serviços regionais e locais da DGAV pelos produtores, comerciantes, industriais, transportadores, médicos veterinários, caçadores ou outras pessoas  que lidem com os efetivos avícolas e com as aves selvagens.

Em Portugal estão em vigor as medidas de prevenção e de biossegurança estabelecidas no Aviso nº 18 cujo anexo contém a lista de concelhos e freguesias e mapa de zonas alto de risco.

Notas informativas sobre Gripe Aviária:

Vigilância da Gripe Aviária
Desde 2003 que Portugal à semelhança dos outros Estados-Membros submete à aprovação pela Comissão, “Programas de Vigilância para a Gripe Aviária em Aves de Capoeira e Aves Selvagens” (Consultar).

Modelos de requisição de análises para o Programas de Vigilância para a Gripe Aviária:

Instruções para a recolha de aves mortas:

Laboratório Nacional de Referência para a Gripe Aviária

INIAV (Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P.)
Av. da República, Quinta do Marquês – 2780-157 Oeiras – Portugal
Tel: (+351) 214 403 500 | Fax: (+351) 21 440 36 66  www.iniav.pt

Informação técnica:

Descrição da Doença (ver Anexo I)
Medidas de emergência (ver Anexo II)

Lista comparativa dos biocidas para os planos de contingência (ver).

Comissão Europeia

OIE (Organização Mundial de Saúde Animal)
Código dos animais terrestres – Capítulo 10.4 – Infeção com os vírus da Influenza Aviária

Portal da Influenza aviária da OIE

European Food Safety Autority (EFSA) – Esta agência emitiu vários pareceres científicos acerca da Gripe Aviária:
Avian influenza overview October 2016-August 2017 (EFSA Journal 2017; 15 (10):5018
Avian Influenza (EFSA Journal 2017; 15 (10):4991)
Outros pareceres sobre a GA

ECDC (European centre for Diseases Control and Prevention)
https://ecdc.europa.eu/en/avian-influenza

FAO – Food and Agriculture organization of the United Nations

CDC (Centers for Diseases Control and Prevention)

Legislação:

Nacional:

Comunitária

  • Regulamento (UE) 2016/429 de Parlamento Europeu e do Conselho de 9 de março (Lei da Saúde Animal)
  • Regulamento Delegado (UE) 2020/687 da Comissão de 17 de dezembro que complementa o Regulamento (UE) 2016/429 do Parlamento Europeu e do Conselho no que se refere às regras de prevenção e controlo de certas doenças listadas.
  • Regulamento Delegado (UE) 2020/689 da Comissão de 17 de dezembro de 2019 que complementa o Regulamento (UE) 2016/429 do Parlamento Europeu e do Conselho no que diz respeito a regras em matéria de vigilância, programas de erradicação e estatuto de indemnidade de doença para certas doenças listadas e doenças emergentes.

Folhetos


QUESTÕES FREQUENTES


Doenças das Aves

Edital nº 24 (2022) Gripe Aviária

Technical note HPAI

Nota técnica GAAP

© 2021 | Direção-Geral de Alimentação e Veterinária